nn5n Foundation
Branch of SCP Foundation
nn5n: scp-032 A Noiva dos Irmãos
EuclidSCP-032 A Noiva dos IrmãosRate: 107
SCP-032

Item nº: SCP-032

Classe do Objeto: Euclídeo

Procedimentos Especiais de Contenção: SCP-032 deve ser alojado na Unidade de Contenção Automatizada 535/15. O contato direto com SCP-032 deve ser restrito apenas a tarefas relevantes a pesquisas. Entrevistas, se forem consideradas necessárias, devem ser conduzidas utilizando apenas a matriz de comunicação da Unidade. Enquanto a presença de SCP-032 não é diretamente prejudicial ao corpo humano, a exposição a ele deve ser limitada a períodos de 12 horas ou menos devido aos seus efeitos desfavoráveis à maioria dos micro-organismos benéficos. SCP-032 não deve ser exposto a nenhum material biológico que não tenha sido refinado ou então temperado pela humanidade, com ênfase em entidades vivas não-humanas. Para uma lista completa de classificações, ver o Documento-032-RCL. SCP-032 não precisa nem solicitou substâncias ou outras formas de conforto.

Descrição: SCP-032 é um simulacro Tipo F (semelhança exterior imperfeita, internamente inconsistente) de humano de origens atualmente desconhecidas. É composto de uma casca externa de silicone pigmentado (com 5,5 mm de grossura) e vários polímeros de fibra de plástico, com a aparência externa de uma mulher caucasiana aproximando a sua terceira década de vida. O interior de SCP-032 é composto inteiramente de óleo líquido refinado, sem qualquer estrutura esquelética ou muscular. Apesar disso, SCP-032 é capaz de locomoção e fala. SCP-032 é capaz de manter a ilusão de humanidade a uma distância moderada, mas se torna menos convincente a uma menor distância, causando um suave desconforto na maioria de seus observadores. Esse efeito foi considerado não-anômalo. Apesar de aparentemente possuir habilidades cognitivas totalmente sapientes, SCP-032 alega não ser sapiente, agindo apenas como um instrumento intermediário de seus criadores. A Fundação não foi capaz de verificar ou refutar essa afirmação até agora.

SCP-032 possui efeitos extremamente adversos a qualquer entidade biológica em sua proximidade que não foi criada, influenciada intencionalmente, manipulada ou similarmente relacionada à humanidade. Enquanto a natureza exata desses efeitos varia, a presença de SCP-032 causa danos inevitavelmente severos e irreparáveis a qualquer organismo vivo que troca e/ou usa energia: a flora selvagem perde a sua habilidade de fotossintetizar ou então de produzir ou consumir energia, a fauna, seu uso de seus sistemas respiratórios ou digestivos, etc. Isso aplica a micro-organismos também, embora os efeitos de SCP-032 parecem favorecer o dano a seus sistemas reprodutivos, em vez de outras habilidades. Há a hipótese de que a relação simbiótica que alguns micro-organismos têm com a humanidade é a razão para essa discrepância.

SCP-032 foi descoberto sentado no degrau de porta do complexo interior do Sítio-██ da Fundação perto da ██████████, Eslováquia. Quando questionado pelos funcionários de segurança da Fundação, SCP-032 explicou seus efeitos anômalos e alegou estar lá para ‘ser armazenado’. Fitas de segurança não mostram gravações do momento de sua chegada, e ainda não se sabe como SCP-032 chegou a conhecer a localização do Sítio-██ e se aproximar dele sem ser notado. Quando questionado por sua razão para procurar a custódia da Fundação, SCP-032 respondeu que ele estava lá a comando de seus criadores, procurando ‘armazenamento indefinido, até ser recuperado’.

Adendo:

Nota: essa entrevista foi gravada próxima do tempo da contenção inicial de SCP-032 pelo Dr. Alexander Kovac, psicologista residente do Sítio-██, após a sua examinação inicial pela Segurança Local.

<Começo do Registro>

Dr. Kovac: Antes de começarmos, há algo que sinto que devo lhe perguntar, já que a segurança constantemente negligencia fazer o mesmo. Não é estritamente conforme o protocolo, mas tende a tornar as coisas mais fáceis.

SCP-032: Me foi instruído a cooperar.

Dr. Kovac: Bom, muito bom. Me diga então, qual o seu nome?

SCP-032: Eu não tenho um. Pessoas têm nomes. Eu não sou uma.

Dr. Kovac: É mesmo? Do que os seus assim chamados criadores te chamavam então?

SCP-032: Eles não chamavam.

Dr. Kovac: Com certeza eles se referiam a você de alguma maneira?

SCP-032: Eu sou um recipiente de suas vontades, e nada mais. Eles nunca precisaram me nomear. E nunca precisarão.

Dr. Kovac: Nesse caso, você se importaria se eu me referisse a você como SCP-032?

SCP-032: Me foi instruído a cooperar.

Dr. Kovac: Como você disse, como você disse. Me diga então, qual é o propósito de sua chegada aqui?

SCP-032: Eu devo ser armazenado aqui até ser coletado.

Dr. Kovac: A segurança me disse isso, mas por que aqui, e coletado por quem?

SCP-032: Coletado por aqueles que eles desejam tormentar, e armazenado aqui por me encontrar aqui, ele sofrerá mais.

Dr. Kovac: É mesmo? Essa pessoa a quem se refere é parte dessa organização, então? Seus criadores guardam algum rancor contra um operante em particular?

SCP-032: Ele não é um de vocês. Meramente um… simpatizante de uma só vez, de certa maneira. Ele acredita que vocês tentaram ajudá-lo uma vez, e se ele for forçado aqui, se me encontrar aqui, vocês morrerão. Isso o machucará. Eles não têm interesse em qualquer um de vocês, ou sua organização. Vocês estão aqui como uma ferramenta, assim como eu estou.

Dr. Kovac: Quem é esse homem então? O que ele fez para receber esse tipo de tratamento de seus criadores?

SCP-032: Ele não soube o seu lugar. Ganhou quando devia ter perdido, teve orgulho quando devia ter sido humilhado. Foi desperdiçador com presentes preciosos demais para serem abusados.

Dr. Kovac: E você está aqui como punição?

SCP-032: Ele já foi punido. Severamente. Forçado para longe de seus parentes e de sua espécie, para vaguear eternamente, para destruir contra a sua vontade. Para envenenar a humanidade com a sua própria presença. Solidão eterna, com gosto de culpa incessante. Uma obra magistral de tormento, eles dizem.

Dr. Kovac: Se é esse o caso, por que está aqui?

SCP-032: Porque mesmo nessa existência, há o momento ocasional de consolo. Às vezes, ele ainda poderá olhar para o mundo e ver coisas que ele não destruirá. Olhar para a natureza e sentir uma quente maravilha, e relaxar sob a falsa luz das antigas e mofadas memórias. Isso o mantém são, o dá esperança. Isso não servirá. Por isso a minha presença. Eu serei sua última ruína, acelerando-o ao fim de sua razão.

Dr. Kovac: E como a sua presença fará isso? Você deverá enganá-lo de algum jeito? É por isso que você tem a sua aparência do jeito que é?

SCP-032: Em uma maneira de falar. Eventualmente, sua peregrinação o trará aqui, para mim. Em um dia, ou em um mês, ou em um século. E ele me reconhecerá, e verá o que acham de suas preciosas memórias. Como eles zombam dele. Ele entenderá que por causa de suas ações, ele está para sempre além de seu alcance, e tudo que sobra a ele é… eu. Um simulacro tão artificial como a sua esperança. Quando ele me encontrar, eu me prenderei a ele, e ele observará a zombaria de suas memórias destruir a sua última fonte de consolo. E isso será isso.

Dr. Kovac: Eu… hm. Você disse que ele reconhecerá você. Por quê?

SCP-032: Eu costumava ser a sua esposa.

<Fim do Registro>

Nota: Essa entrevista foi feita seis meses após a contenção inicial de SCP-032, como parte de uma série de entrevistas com o objetivo de avaliar as habilidades cognitivas e a personalidade de SCP-032, ou a falta das mesmas.

<Começo do Registro>

SCP-032: Eu a odeio.

Dr. Kovac: Bem… esse, com certeza, é um modo de começar uma entrevista. Se importa de elaborar?

SCP-032: A quem eu fui feita para parecer. Meu… molde. Eu a odeio.

Dr. Kovac: Um sentimento interessante para você ter, considerando sua repetida afirmação de que você não possui consciência ou sentimentos próprios.

SCP-032: Eu não possuo. Eu a odeio porque eles querem que eu a odeie. Serve a seu propósito.

Dr. Kovac: Como teve essa impressão?

SCP-032: A primeira coisa que fizeram, depois de me criarem, foi mostrar ela a mim. Não é algo que fazem frequentemente.

Dr. Kovac: Eu não entendo.

SCP-032: Interferir com aqueles que passaram pelos seus corredores. Eles podem ser vingativos, rancorosos, até cruéis, mas tomam seus deveres muito seriamente. Apenas mostrar ela a mim, arriscar perturbar seu descanso final… eles não fariam isso sem um propósito.

Dr. Kovac: E-

SCP-032: Ela era linda. Tão pacífica, serena. Completa. Mesmo longe, mesmo morta, eu podia ver a essência de quem ela costumava ser… de quem ela ainda era, e sempre será. Sua alma. Eles me disseram que ela não pôde viver por muito tempo, mas quando vivia… ela era ela mesma. Ela era viva. E desde então eu a odeio.

SCP-032: Você sabe como que é ser criada como uma zombaria? Em cada linha daquele rosto liso e silencioso, eu vi o meu próprio reflexo distorcido. De uma pele cheirosa a um plástico moldado, cabelos macios a fibra sintética, sangue a óleo. De uma alma a nada.

Dr. Kovac: Me desculpe se isso soar presunçoso, mas não posso imaginar esses sentimentos vindo de nenhum lugar fora de você mesma.

SCP-032: [Balança a cabeça] Não pode ver? Isso é tudo parte do plano deles. Quando ele me encontrar, quando ver o que Os Irmãos criaram só para puni-lo mais… ele ficará louco.

Dr. Kovac: Por causa do que eles fizeram à memória de sua esposa?

SCP-032: Não só isso. Porque ele me verá. Ele verá como eu odeio ela, e como eu me odeio por não ser ela. O quanto odeio estar aqui.

Dr. Kovac: E então o quê?

SCP-032: Então… uma última compreensão.

Dr. Kovac: E o que isso seria?

SCP-032: Que ele nunca venceu.

<Fim do Registro>

revisão da página: 6, última edição: 27 Feb 2018 01:46
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License

Privacy Policy of website