nn5n Foundation
Branch of SCP Foundation
nn5n: scp-407 A Canção do Gênese
UnknownSCP-407 A Canção do GêneseRate: 160
SCP-407

Item n°: SCP-407

Classe de Objeto: Neutralizado

Procedimentos Especiais de Contenção: No tempo que esteve em aquisição, SCP-407 foi registrado em uma fita cacete compacta. Atualmente, SCP-407 está inserido como um arquivo digital no [DADOS EXPURGADOS]. SCP-407 não deve ser tocado em quaisquer circunstâncias fora de condições de teste e somente iniciado com a aprovação do O5—██.

Descrição: É uma canção em uma linguagem desconhecida, supostamente cantada à capela1. As vozes na canção parecem ser de humanos. A fita contendo SCP-407 foi encontrada com uma trilha de aproximadamente trinta (30) minutos de duração, embora o final abrupto indica que poderia haver mais.
A canção tem sido descrita por todos como algo "suave", "glorioso" e "lindo".

Enquanto SCP-407 é tocado, rápida produção de células em indivíduos ocorre, através do raio de alcance auditivo. O efeito ocorre em nível celular e não é preciso que o sujeito esteja ouvindo. As alterações aparentam afetar somente organismos multicelulares em seu início, porém afeta posteriormente a mitose em organismos unicelulares.

Durante o primeiro minuto de exposição, formas de vida multicelulares aparentam se tornar mais saudáveis. Sujeitos que sofrem de desnutrição, lesões físicas, possuem cicatrizes, ou que sofrem de doenças crônicas ou de outras condições médicas aparentam ficarem mais saudáveis com uma única de exposição de SCP-407. Isto tem demonstrado curar também o mal de Alzheimer, doença de Crohn, lesões no cérebro e na medula espinhal e infecções e lesões normalmente fatais, entre outros. Peculiarmente, câncer não demonstra ser afetado, apesar da condição física do sujeito se tornar vastamente melhor.

Durante o segundo e terceiro minuto de exposição, sujeitos começam a experienciar um crescimento celular irrestrito e desnecessário, manifestando um crescimento dérmico. Esses crescimentos aparentam ser sobretudo tumores benignos e depósitos de cálcio e gordura, que embora doloroso e causa a desfiguração, a forma de vida não é comprometida.

Durante o quarto minuto de exposição, ocorre o aumento do crescimento bacteriano e fúngico, criando condições cada vez mais perigosas para a forma de vida exposta, mesmo em seus estados mais saudáveis. Problemas digestivos e respiratórios são os primeiros a ocorrer e em muitos casos se tornam constantemente piores.

Passado cinco (5) minutos, os efeitos de SCP-407 parecem variar de cada teste. Mas em todos os casos, elementos de plantas e fungos bem como qualquer vida animal presente, começa a crescer e se replicar incontrolavelmente a taxas variadas, muitas vezes formando novos organismos. Todos resultados tem variado dependendo do teste e do objeto presente quando SCP-407 é iniciado.

Adendo 407-01: SCP-407 foi encontrado na casa do professor ██████ de ██████████, que recentemente havia retornado de um estudo na Amazônia no norte do Brasil. Agentes foram alertados de um possível SCP quando [DADOS EXPURGADOS].

Adendo 407-02: O mofo que eventualmente resultou do segundo teste de SCP-407 parece ser alguma espécie de Codyceps Fungi. Foi notado que o mofo é similar ao mofo encontrado por SCP-507. Devido ao medo de ocorrer algo similar observado por 507, testes usando SCP-407 tem sido limitados para apenas vinte (20) minutos de duração.

Adendo 407-03: Abaixo há um exemplo de um teste de SCP-407. Para notas completas de pesquisa e experimentação, veja Registro de Experimentos 407.

Exemplo de teste
<Teste 2; SCP-407 tocado por 28 minutos e 32 segundos. Dentro da câmara; um funcionário classe-d não esterilizado>

00:25 - Sujeito reporta se sentir acalmado pela música e se sentir mais forte e revigorado.
00:45 - Manchas hepáticas anteriormente vistas no sujeito, desaparecem.
02:20 - Sujeito parece ter crescido fisicamente em uma polegada. Crescimento muscular é notável.
03:40 - Sujeito reporta dor intestinal.
04:20 - Sujeito vomita. No vômito, plantas são vistas crescendo e lentamente se enraizando no azulejo do chão.
04:50 - Sujeito começa a desenvolver erupções cutâneas e tumores na pele.
05:30 - Intensa desfiguração dérmica. Sujeito torna-se profundamente ofegante e implora por ajuda. Intensa dor é reportada.
06:10 - Sujeito cai sobre o chão e cessa movimentos.
06:45 - O corpo do sujeito é rapidamente coberto em o que parece ser infecções fúngicas. Plantas são observadas crescendo na boca do sujeito, logo começando a crescer nos olhos também.
07:30 - Sujeito nesse tempo é irreconhecível, coberto por mofo e brotos de plantas. O corpo logo explode, quando uma bananeira emerge dos intestinos do sujeito e procede em crescer para a maturidade dentro de segundos.
08:45 - Plantas e fungos crescem espalhando-se por toda câmara. O que parece ser musgo e ervas daninhas cobrem o chão.
09:30 - Vários brotos, caules, arbustos e até pequenas árvores surgem. A bananeira não é mais reconhecível; a árvore cresceu densa e é coberta por folhagem e crescimento de fungos.
10:30 - O ar está fortemente carregado de pólen e esporos. A visão na câmara de teste é difícil.
11:30 - Movimento é ouvido dentro da câmara. Várias pequenas criaturas análogas a insetos são observadas. Criaturas são aparentemente feitas de material vegetal.
17:30 - Após seis minutos, criaturas feitas de material vegetal tem sido observadas sendo rapidamente geradas, crescendo para maturidade, matando e se alimentando de outras criaturas e depois sendo devoradas por outras. Criaturas progressivamente aumentam de tamanho com o passar do tempo.
19:00 - Criaturas mamíferas de tamanho médio são observadas; os objetos aparentam ser humanoides e ursos, lembrando o sujeito no início.
21:00 - Um grande talo de um fungo é observado crescendo de uma única criatura mamífera. O talo explode liberando esporos brancos.
22:00 - O crescimento de plantas ainda é exuberante, mas tudo começa a ficar revestido por mofo. As criaturas vegetais lentamente morrem por razões desconhecidas, antes de serem cobertas por mofo.
23:00 - Criaturas mamíferas são as últimas a sucumbir; criaturas decaem em seus números intensamente e seus corpos são cobertos por mofo. Corpos são vistos contraindo e se expandindo como se estivessem respirando.
Talos rapidamente surgem aumentando de tamanho nos corpos, explodindo em esporos e logo seus restos apodrecem.
28:32 - A fita chega ao fim. Nada se altera na câmara desde o mofo. A câmara passa por rigorasa limpeza anti-biológica. Amostras do mofo foram recolhidas (ver adendo 407-01, 407-02).

Adendo 407-04: SCP-407 foi deletado do sistema pelo que agora é conhecido pela Fundação como: Mão da Serpente. Todas cópias de SCP-407 tem sido deletadas. Veja o Relatório do Incidente X23

revisão da página: 3, última edição: 22 Jan 2020 22:29
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License

Privacy Policy of website